quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Bolo Alemão de Natal e/ou Ano Novo

Este bolo é tradicional no Natal e ou Ano Novo na casa dos familiares do meu marido. A minha querida cunhada Zilma é que tem a receita e o faz muito bem. É uma sobremesa de sucesso, principalmente acompanhada de sorvete de creme e/ou chocolate. Ainda é saboreado de manhã com delicioso copo de leite gelado neste nosso verão brasileiro.
Esta é a minha participação para o Chá da Tarde - Tortas e Bolos Recheados, da Cris e Leila:
Ingredientes da Massa:
  • 1 caixa de bolo Sol sabor Festa
  • 1 caixinha de pudim de caramelo
  • 1/2 xícara de óleo ou margarina
  • 4 ovos
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 colher (sopa) de fermento

Ingredientes da Farofa: Misture tudo e reserve.

  • 1 colher (sopa) de canela
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de nozes picadas ou outro tipo de noz de sua preferência
  • 1 xícara (chá) de passas escuras

Ingredientes do Glacê: Leve ao fogo numa panelinha até ferver e engrossar um pouco.

  • 1 xícara (chá) de açúcar ( pode ser de confeiteiro)
  • 3 colheres (sopa de leite)
  • 1 colher (sopa) de manteiga

Modo de Fazer: Mistura-se todos os ingredientes da massa e bate-se 4 minutos na batedeira. Coloca-se em forma untada de buraco no meio metade da massa, metade da farofa, massa e farofa consequentemente. Leva-se ao forno forte (10 a 15 min.) e depois em forno médio por mais 20 ou 15 min, ou até que enfiando o palito ele saia limpo. Após o bolo assar, derramar o glacê sobre o bolo ainda quente. Enfeite com nozes e cerejas. Se quiser polvilhe um pouquinho de açúcar de confeiteiro em cima do bolo. ( Dá um ar de neve!)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Picolé de Suco de Frutas

Nestas tardes de férias que antecedem o Natal, pois dezembro nunca é um mês sossegado, nada melhor do que simplificar ao máximo as coisas e ao mesmo tempo agradar as crianças que ficam em casa. Uma ótima ideia é ter sempre no congelador estes picolézinhos caseiros feitos de suco de frutas. Você escolhe o sabor, uva, maracujá, manga, pêssego. Podem ser feitos de suco concentrado diluído com água, açúcar ou adoçante ou até suco de caixinha. Coloque nas forminhas e tenha sempre um momento de frescor de verão!

sábado, 13 de dezembro de 2008

Bolo de Aveia

Olá, bloggers! Estou voltando, mas meu problema de vírus ainda não está plenamente resolvido. Estou mandando meu computador para um check-up geral e enquanto isso vou usando o laptop do Mr. L. que está super concorrido!
Hoje é um dia gostoso para se ter um bolinho para se comer a tarde e escolhi este bolo de aveia clássico, daqueles que com certeza alguém já tem a receita, mas é muito bom e saudável. Não é muito doce por isso fica ótimo com uma colherada e mel por cima (digo isso para as formiguinhas de plantão, que por sinal parecem que vão levar a casa nas costas!). A sua casa nesta época também tem formiguinhas andando pela cozinha? Espero que gostem!
bolo de aveia
ingredientes:
  • 1/2 xícara de manteiga
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • 1 xícara de aveia em flocos
  • 1 xícara de farinha de trigo ou 1/2 xícara de farinha branca e 1/2 xícara integral
  • 1 colher (chá) de canela
  • 1/2 colher (café) de cardamomo em pó
  • 2 colheres (chá) de fermento em pó
  • 4 ovos
  • 1/4 xícara de leite
  • 1/2 xícara de uvas passas passadas na farinha de trigo (opcional)

preparo:

  1. Coloque todos os ingredientes numa vasilha, exceto as passas. Bata bem com uma colher de pau ou na batedeira. Junte as uvas e misture.
  2. Coloque a massa numa forma de 20 cm de diâmetro untada. Asse em forno quente (200ºC) preaquecido, por uns 35 minutos, ou até que enfiando um palito no meio, este saia limpo. Desenforme ainda quente, ou corte e sirva com uma colher de sopa de mel sobre o pedaço.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Ficarei uns dias fora do ar!

Olá blogosferianos(as), estarei ausente por uns dias, pois meu computador foi vitimado por este bichinho chato que ultrapassou seus anticorpos e fez uma boa bagunça no meu amado vício. Imaginem como me sinto com a síndrome da abstinência! Espero ter resolvido o problema em alguns dias. Darei uma espiadela com o laptop do Mr. L. de vez em quando! Beijos!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Moqueca Baiana

Já faz um tempinho que comprei uma panela de barro de fazer a autêntica moqueca capixaba, lá dos artesãos capixabas. O meu plano era fazer a moqueca capixaba, mas o pessoal daqui preferiu que a estréia da dita cuja fosse com moqueca baiana, que vai azeite de dendê e leite de coco, já que a capixaba não vai, é mais leve e vai um preparado de urucum no azeite que dá uma belíssima cor. Ficará para a próxima. Agora, amigos(as), a minha receitinha é a que eu faço em casa, não sei se é autêntica, mas acho que só indo à Bahia para comer uma das autênticas, visto que olhei "n" receitas e todas com semelhanças e diferenças. A que fiz ficou assim: moqueca baiana
Ingredientes:
  • 500g de camarão sem casca
  • 1 kg de peixe em postas (robalo,dourada, cação)
  • salsinha a gosto (mais paulista)
  • coentro a gosto (mais baiana)
  • 2 cebolas grandes em rodelas
  • 3 dentes de alho picados
  • 5 tomates maduros picados
  • 1 pimentão verde ou vermelho picado em rodelas
  • 150g de leite de coco
  • 3 colheres (sopa) de azeite de dendê
  • Sal e pimenta vermelha a gosto

Preparo:

Tempere o peixe com sal, alho e limão e pimenta do reino a gosto, faça o mesmo com o camarão. Enquanto pega o tempero, aqueça a panela de barro no fogo forte, coloque um pouco de óleo ou azeite e frite as cebolas. Logo após coloque o alho picado e refogue também. Junte os tomates e o pimentão, tampe a panela e deixe que o molho se desfaça um pouco. Quando os ingredientes já estiverem mais desmanchados, tire um pouco desta mistura e reserve numa vasilha e deixe a mistura restante. Por cima, coloque o peixe, cubra com o resto do molho, tampe e cozinhe por 15 a 20 minutos até o peixe ficar quase pronto. Nos últimos 3 minutos acrescente os camarões, o azeite de dendê e o leite de côco. Tampe a panela e cozinhe por mais 4 minutos. Assim que os camarões estiverem cozidos, rosados e macios, desligue a panela e acrescente a salsinha e o coentro por cima. Sirva com arroz branco e salada. Rendimento: 6 porções.

sábado, 22 de novembro de 2008

Garden Muffins

Faz tempo que tenho vontade de fazer esta receita desde que a vi neste blog delicioso e saudável, o Kitchen Space, da nossa querida Ana. Depois a Akemi do Pecado da Gula a fez e depois a Lica, dos Sabores da Lica. Tudo gente boa (hehe). Não poderia ficar de fora desta turma e fiz estas gostosuras já de cara para levar numa reunião de amigos, onde estudamos a Bíblia. Não fiquei insegura, pois sabia que com estas 3 meninas na cozinha o sucesso seria garantido. Dito e feito. Agora é a sua vez!
garden muffins
*xícara de 240ml
  • 1 xícara de farinha de trigo(1/2 branca, 1/2 integral)usei só a branca, pois acabou a integral, mas na próxima vou fazer com as duas.
  • 1 xícara de fubá
  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • 2 colheres (chá) de fermento em pó
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 1/4 xícara de queijo parmesão ralado ou mais se preferir
  • 1 ovo grande
  • 3/4 xícara de leite
  • 1/4 xícara de óleo
  • 2 colheres (sopa) de manteiga derretida (coloquei apenas uma)
  • 1 tomate sem sementes picado
  • 1/4 de cebola picada
  • 1 pimentão vermelho pequeno picado (usei metade de um verde)
  • alguns buquês de brócolis rapidamente aferventados (usei cozidos no vapor, bem durinhos)
  • 1/2 cenoura ralada no ralo grosso
  • algumas azeitonas verdes picadas
  • salsinha picada (esqueci!)
  • queijo ralado extra para polvilhar
Pré-aqueça o forno a 190oC. Unte e polvilhe com fubá as forminhas de muffins ou forre com papel manteiga.
Numa vasilha, coloque a farinha, o fubá, o açúcar, o fermento, o sal e o queijo ralado. Misture tudo.
Em outra vasilha, bata o ovo com o leite, o óleo e a manteiga.
Despeje na vasilha com ingredientes secos e junte os legumes. Misture tudo só o suficiente para agregar os ingredientes e distribua nas forminhas de muffins.
Polvilhe queijo ralado por cima e leve para assar por 25 a 30 minutos até ficarem levemente corados.
Sirva morno.
Esta receita é boa e econômica, pois você pode substituir os legumes por outros que tiver em casa ou pelos quais preferir!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Salada de Repolho e Cenoura

Neste calor, ao final do dia, pelo menos aqui em casa não apetece muitas vezes jantar uma comida quente, o que cai bem é um lanche, saladas variadas e um grelhado. Esta saladinha de repolho é super resfrescante, ainda mais se deixarmos na geladeira. Vai bem em lanches como hot dogs e hamburguers feitos em casa ou como acompanhemento de qualquer refeição. Versátil, simples, facílima de fazer e saborosa!
Ingredientes:
  • Repolho verdinho ou roxo ou ambos, finamente picado, aprox. 3 xícaras de chá
  • Cenoura, meia cenoura ralada em ralo grosso
  • Cebolinha picadinha (1 colher de sopa)
  • Maionese ( uso a light ou a Hellman's de leite), aprox. 1 1/2 colher de sopa
  • Mostarda Dijon ou outra mostarda amarela de boa qualidade (gosto da marca Hemmer também), 1/2 colher (chá)
  • Pimenta do reino ou ou substitua pelo tempero Lemmon and Pepper (fica muito bom)
  • Uma pitada de sal

Modo de preparo: Coloque todos os ingredientes numa tigela, misture delicadamente até encorporar o sabor de todos os ingredientes e sirva. Pode deixar uns minutinhos na geladeira só para refrescar antes de servir. Dá para 3 pessoas.

Observação: Se não apreciar a maionese, ou quiser deixá-la menos calórica ( apesar que as maioneses citadas na receita contem 25 kcal por colher de sopa, não é muito em toda a salada), você pode fazer a versão sem maionese, temperando-a assim:

  • 2 colheres (sopa) de vinagre de arroz
  • Salpique moderadamente, sal, açúcar (para realçar o sabor) e pimenta do reino ou lemmon & pepper. Misture e sirva. Fica muito boa também.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Pudim de Panetone

Alguns dias atrás tentei fazer um panetone, segui a risca a receita, a massa estava divina, mas o erro foi meu ou do meu forno: ou não o pré-aqueci suficientemente, ou a temperatura não estava adequada (ainda tendo termostato, vai-se saber se realmente estes fornos tupiniquins funcionam mesmo!). Moral da história, vou tentar fazer novamente, e este que não deu certo (ficou cru por dentro) virou um belo pudim de pão, ou melhor, pudim de panetone. A minha inspiração tirei deste blog delicioso, e o resultado foi mais que ótimo, além do gostinho americano, juntou-se mais um gostinho de Natal!
Ingredientes:
  • 1 panetone de passas brancas e escuras, com raspas de limão (aprox. 500g), cortado em cubos - postarei quando der certo!
  • 1 lt de leite morno
  • 3 ovos
  • 1 1/2 xícara de açúcar
  • 3 colheres (sopa) de manteiga derretida
  • 2 colheres (sopa) de extrato de baunilha natural
  • 1 colher (chá) de canela em pó
  • 4 maçãs pequenas, descascadas e picadas
Modo de preparo:
  • Pré-aqueça o forno a 180° C. Unte uma assadeira ou refratário de 34cm x 22cm x 6cm. Em uma tigela grande, coloque o panetone picado e o leite, e deixe absorvendo por 10 minutos. Em outra tigela, misture os ingredientes restantes e misture bem. Adicione ao panetone com leite e misture. Derrame na assadeira untada e asse por aprox. 1 hora, ou até o centro esteja firme.

Today's Flowers - As Flores de Hoje! # 15

Florzinhas tão singelas subindo nas cercas, não sei o nome, mas são daquelas que crescem sozinhas no verão, secam e morrem no inverno e no próximo verão renascem de novo.
"Porque há esperança para a árvore, que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus frutos. Se envelhecer na terra a sua raiz e morrer o seu tronco no pó, ao cheiro das águas, brotará e dará ramos como a planta." - Jó 14:7, 8 e 9.
§
So sweet simple flowers climbing the fence, I don't know the name, but they grow up in the summer, with no care, dry and dye in the winter and reborn in the summer again.
"At least there is hope for a tree: If it is cut down, it will sprout again,and its new shoots will not fail. Its roots may grow old in the ground and its stump die in the soil, yet at the scent of water it will bud and put forth shoots like a plant." Job 14-7,8,9

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Bistecas de Porco Assadas

Esta receita tirei do Elvira's Bistrô . Realmente quando a vi disse a mim mesma que iria fazer sem falta, pois é prática, perfumada e deliciosa! Aqui gostamos de bistequinhas de porco, mas já estava cansada de fazer grelhadas no "George Foreman", ficam boas também com aqueles risquinhos na carne, porém esta receita é algo de tirar o chapéu. Ficam macias e suculentas e a pimenta da jamaica e os outros ingredientes açorianos, como disse a Elvira, perfumam a cozinha toda. Como não tinha pasta de malagueta ou pimentão, coloquei uns pedacinhos de pimentão vermelho junto com o tomate picadinho.
Ingredientes:
- 4 costeletas de porco não muito finas (lombo) - (usei seis a sete)
- sal
- 1 colher (chá) de massa de malagueta (ou massa de pimentão)
- azeite q.b.
- 1 dente de alho picado
- 1 cebola cortada em rodelas- 5-6 grãos de pimenta Jamaica
- 1 folha de louro
- 2 tomates cortados em cubos (sem pele nem sementes)
- 150 ml de vinho branco seco
- 100 ml de água- 1/4 de limão
- ervas de Provence q.b.
- 25 g de manteiga com sal
Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180ºC. ( no meu forno deixei 230 ºC)
Colocar as costeletas num tabuleiro de barro ou numa assadeira.
Temperar com a massa de malagueta e sal.
Regar com um pouco de azeite.
Distribuir o alho picado, as rodelas de cebola, os cubos de tomate e os grãos de pimenta Jamaica. Juntar a folha de louro.Regar com o vinho branco e a água. (usei vinho tinto seco Gamay)
Espremer o sumo do limão e cortar este em cubinhos, com a casca. Adicionar ao tabuleiro.
Polvilhar com ervas de Provence à gosto e distribuir a manteiga cortada em pedacinhos.
Levar ao forno por 20-25 minutos, a 180ºC, ou até as costeletas se apresentarem rosadas.
Retirar o tabuleiro do forno e servir de imediato.
Acompanhar com puré de batata, arroz ou legumes cozidos. (Hoje fiz um feijão brasileiro esperto para acompanhar com o arroz e legumes!)

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Muffins de Creme de Amendoim

A Patrícia do Technicolor Kitchen é fã da Donna Hay e de tanto ela falar bem eu já estava imaginando qual receita seria a minha primeira. Andando pela blogosfera, encontrei esta receita no blog da Márcia do Açúcar e Canela e definitivamente resolvi fazê-los simplesmente, sem enrolar (o que é de meu feitio) e valeu a pena. Tão bom, tão fácil e deliciosamente impossível comer um só!
Ingredientes:
  • 175g de manteiga amolecida (usei 100g, mas ficou fofo e gostoso do mesmo jeito)
  • 3/4 xícara de açúcar refinado
  • 3 ovos inteiros
  • 1 3/4 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada
  • 2 colheres (chá) de fermento
  • peanut butter , amendocrem ou Amend's (creme de amendoim com mel da Superbom), foi o que usei e recomendo (um pouco menos salgado que o amendocrem)

Modo de Preparo:

  • Pré-aqueça o forno a 160º ( meu o mínimo é 180º), deu certo. Forre a forma própria de muffins com 12 forminhas de papel. Coloque todos os ingredientes na batedeira. Em velocidade média, bata rapidamente até que forme um creme liso. Encha as forminhas até 2/3 de sua capacidade. Acrescente uma colher (chá) de Amend's a cada bolinho. Misture levemente com um garfo para que a pasta de amendoim deixe o bolinho com uma aparência marmorizada. Asse por 20 minutos, ou até que enfiando um palito no centro dele saia limpo. Deixe esfriar sobre uma grade.

Fonte: Donna Hay

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Frango sul-asiático com shoyo e saquê licoroso

O modo de fazer deste frango praticamente lembra o do adobo de frango, receita já postada aqui, a qual conheci aqui, no blog da nossa querida Elvira. Só esta versão fica com um sabor mais forte, picante e temperada, pois além do sake licoroso, coloquei um tempero da Malásia, mas que foi produzido em Cingapura. Não sei o que tem neste tempero ( não diz na embalagem nem em inglês e muito menos em malaio ( também se fosse, pouco diferença faria ehehehe), mas presumo que é um mix dos temperos usados lá para fazer as inúmeras combinações que eles usam.( Posso identificar noz-moscada, aniz, canela, cravo, um outro tempero que arde no nariz, mas acho que não tem pimenta do reino, mas tem algo picante). Como não sou expert, fica só no achômetro. As mais experientes podem me ajudar...talvez esteja mais para um garam masala simplificado. Ingredientes:
  • 8 coxas ou sobrecoxas de frango sem peles
  • 1/2 xícara (chá) de saquê azuma mirin licoroso
  • 3/4 xícara (chá) de shoyo
  • 1/2 xícara (chá) de água
  • 1 cebola bem picadinha
  • Sal (pouco) acerte no final por causa do shoyo que é salgado
  • 1 colher (chá) deste tempero sul-asiático
  • Cebolinha fresca picadinha para salpicar no final

Modo de Fazer:

Num recipiente, esfregue os pedaços de frango com a cebola picadinha, o tempero asiático e uma pitada de sal, coloque o saquê e deixe marinando por 1 hora.

Numa panela média, fogo forte, coloque uma colher (sopa) de óleo e vá colocando os pedaços de frango para ir dourando, mexendo sempre, se precisar pingue um pouco de água. Quando os pedaços estiverem dourados por igual, acrescente o shoyo e mais 1/2 xícara de água. Misture delicadamente, abaixo o fogo para médio-baixo e deixe o frango refogar até ficar macio, aproximadamente 25 minutos, ou quando espetar um garfo nele, não saia líquido nenhum. Sempre dê uma olhada para ver se o caldo não secou. É importante ficar um caldinho. Depois de pronto salpique a salsinha por cima e sirva com arroz branco, jasmine ou basmati.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Prêmio Fofo da Téia - E com Carinho da Cláudia

Uma amiga que admiro muito o seu jeito de ser, sua alegria contagiante e positivismo se lembrou de mim e mandou esta coisinha fofa de amizade . Fiquei muito feliz e agradecida, pois é tão bom trocar estas energias boas com bloggers de norte a sul do Brasil e do mundo! O desafio deste selinho é fazer um acróstico com o nosso nome. (Ai, vou tentar!), e depois indicar mais 5 para recebê-lo. Então, mãos à obra!

C - Carinho e paciência, a melhor qualificação para ensinar os filhos.

L - Leveza de espírito e despojamento de preconceitos para conhecer Jesus, o caminho de se chegar a Deus.

A - Amor é essencial!

U - Um dia foi feito após o outro para superarmos os problemas, as mágoas, refletir e perdoar.

D - Determinação vale a pena ainda que tropeçemos muitas vezes.

I - Invencibilidade é impossível. Vamos viver com mais tranquilidade e menos cobranças!

A - Amizade o melhor remédio para o bem estar, para ser feliz e se dividir com os outros!

Agora indico mais 5 para recebê-lo:

Goreti - Díscipula na Cozinha

Lica - Sabores da Lica Cris - From our Home to Yours

Sheila - Bloco A29 (nossa Sheila do antigo Entre Erros e Acertos)

Cláudia - Eu crio a Minha Vida

Este outro selinho veio da minha amiga virtual de além-mar, e o recebo e agradeço a lembrança e o carinho. Minha xará parece minha amiga há muito tempo, como se fosse real. Gostamos de conversar por e-mail. Aprendi muitas coisas com ela e vi que tem muita força e determinação. Agora este carinho compartilho com:

Akemi - Pecado da Gula

Odete - Páprika na Feijoada

Fabrícia - Sopa Vermelha

Geórgia - Vida Prática

Silvia - Doce Casinha

domingo, 2 de novembro de 2008

Almôndegas Recheadas com Ovinhos de Codorna

Depois que eu vi esta receitinha no blog Sabores da Lica, esta almôndega definitivamente entrou para o cardápio de casa. As crianças adoraram. Também, pudera, só a Lica para ter idéias boas e cozinhar tão bem e com todo o carinho para a sua família. Veja esta receitinha deliciosa aqui. Mas indo lá você encontra ela aqui e aqui! Viu como é famosa?
A minha versão é essa:
Ingredientes
  • 400g de patinho moído
  • 1 pão francês sem casca demolhado no leite e depois espremido
  • 1 ovo ligeiramente batido
  • 1 dente de alho amassado
  • 1/2 cebola cortada bem miudinha ou processada (no meu caso é melhor, pois a Gabi é daquelas da propaganda antiga... o que que é isto, cebola???
  • sal e pimenta do reino a gosto, ou umas gotas de molho de pimenta vermelha
  • 12 ovos de codorna cozidos e descascados (vai que quem lê é iniciante) ou mais se render mais a receita da almôndega.

Para o molho

Refoguei mais um alho espremido no azeite e usei tomates pelados em lata batidos no liquidificador com mais meia cebola, no final, acrescentei 1/2 colher de chá de orégano no molho. Sal a gosto.

Fiz as almôndegas misturando a carne com os demais ingredientes, exceto os ovinhos. Na hora de fazer as bolinhas das almôndegas, fiz um pouquinho maiores para rechear com os ovinhos. Como a Lica disse, não deixe muito fina a carne em volta.

Depois é só coloca-las para cozinhar no molho de tomate. Um arroz e uma saladinha de beterraba para ser feliz!

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Parpadelle ao Molho de Berinjela e Tomatinhos Assados

O sabor da berinjela assada combina muito bem como massas e pães. Não há pizza, foccacia, pães recheados que não fiquem uma delícia quando ela está presente. O eleito para recebê-la hoje foi o parpadelle. Fácil de fazer e realmente impressiona pelo sabor tão bom e tanta simplicidade.
parpadelle ao molho de berinjelas e tomatinhos assados
Ingredientes:
  • 1 berinjela bem grande cortada em cubos e colocadas num escorredor com sal ( o objetivo é fazê-la amaciar e perder um pouco de água - faça isso e deixe uns 15 minutos)
  • 250g de tomatinnhos cereja daqueles redondinhos e pequeninos
  • Sal gourmet aromatizado com tomilho fresco a gosto ( compre o sal e coloque num vidro com o tomilho e deixe tomar gosto, dura bastante, pois o tomilho vai secando e saborizando o sal, quantidade 1/2 xícara de sal, 3 colheres de sopa de folhinhas de tomilho fresco)
  • 1 colher (sopa) de alho triturado e alguns dentes com casca para assar junto (3 ou 4)
  • orégano a gosto
  • pimenta moída na hora a gosto ( usei o mix de pimentas do reino preta, branca e rosa)
  • azeite para derramar por cima ( 1/2 xícara (chá) ou mais um pouco)

  • um punhado de castanhas-do-pará cortadas e levemente tostadas numa frigideira

Modo de preparo:

  • Pegue uma assadeira e coloque as berinjelas picadas, polvilhe com o sal, coloque os tomatinhos com casca e tudo, coloque o alho, misture tudo, polvilhe o orégano, os dentes de alho inteiros com as cascas e regue com o azeite de oliva.
  • Leve ao forno pré-aquecido a 200°C e asse por quase 1 hora, veja quando as berinjelas já murcharam e estão com aquela cor bonita, mas não muito pretas e queimadas.
  • Enquanto isso leve água ao fogo para cozinhar o macarrão.
  • Misture uma vez durante o tempo de forno.
  • Quando estiver tudo assado e cheiroso, tire do forno e aproveite a água em que cozinhou o macarrão (duas conchas) e derrame na assadeira e misture para retirar e aproveitar o queimadinho que fica na assadeira, deixando as berinjelas mais molhadinhas. Verifique o sal.
  • Sirva este molho sobre o parpadelle com queijo parmesão ralado na hora e as castanhas por cima.

domingo, 26 de outubro de 2008

Costela de Boi na churrasqueira com Molho Barbecue Caseiro

Uma idéia menos comum, mas nem por isso menos gostosa. Meu marido é um expert em fazer costelinhas e/ou bistequinha de porco lá em casa. Desta vez obtamos pela bisteca de boi.
Foi temperada com sal gourmet com tomilho fresco levemente (eu mesma que preparei o sal) e colocadas para grelhar na churrasqueira, com umas pinceladas dos dois lados com o molho barbecue caseiro. Aproveitamos também para grelhar uns queijinhos de coalho e ficou uma delícia com o este molhinho.
molho barbecue caseiro
  • 1 colher (sopa) de shoyo
  • 1/4 de xícara (chá) de melado de cana
  • 1/4 de xícara (chá) de catchup picante
  • 1 colher (sopa) de vinagre de vinho tinto ou vinho tinto seco
  • 1 colher (sopa) de mostarda
  • 1/4 de xícara (chá) de molho inglês

Misture bem todos os ingredientes com o "fuet" ou vara de arames até ficar bem emulsionado e cremosinho. Sirva temperando as carnes para grelhar, por cima ou em lanches.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Salada de Frutas Verde & Amarela

Ah, neste calor nada mais gostoso que comer frutas fresquinhas
Nada melhor mesmo como saborear uma simples saladinha!
Quantas frutas maravilhosas temos à nossa disposição
Cores variadas, sabores sem fim, doces ou azedinhas...
Basta usar a imaginação!
Frutados e perfumados, cheirinhos deliciosos
Texturas macias, crocantes, suculentas
Mãos à obra e saúde para o corpo e a alma!

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Dia Mundial do Pão - 3rd World Day of Bread- Fruited muesli loaf

O World Bread Day original foi criado pela UIB - International Union of Bakers e Bakers-Confectioners – (União Internacional dos Padeiros) com o objetivo de abrir um canal para que se discuta sobre pão e padeiros, conhecer sua história sua importância e futuro. Para obter mais informações sobre este evento veja:http://kochtopf.twoday.net/stories/5175999/

História do Pão
É estimado que o pão tenha surgido há 12 mil anos na Mesopotâmia juntamente com o cultivo do trigo. Eram feitos de farinha misturada com o fruto do carvalho. Os primeiros pães eram achatados, duros, secos e muitos amargos. Para ser ingerido, o pão era lavado várias vezes em água fervente e depois era assado sobre pedras ou embaixo de cinzas. O primeiro pão assado em forno de barro foi a 7000 a.C. no Egito, que mais tarde descobriram o fermento. O pão chegou à Europa em 250 a.C. sendo preparado em padarias, mas com a queda do império romano, as padarias fecharam e o pão teve que ser feito em casa. Somente a partir do século XII a França começou a melhorar e então no século XVII o país se destacou como centro mundial de fabricação de pães.
Conforme escreveu o sociólogo e antropólogo Gilberto Freyre (autor de "Casagrande e Senzala"), o Brasil conheceu o pão no século XIX. Antes do pão, o que se usava, em tempos coloniais, era o biju de tapioca no almoço e no jantar a farofa, o pirão escaldado ou a massa de farinha de mandioca feita no caldo de peixe ou de carne. O desconhecimento sobre o pão aqui no Brasil era total, segundo alguns relatos de cronistas, daquela época. Veja um desses relatos hilariantes de 1839: um certo matuto, vindo de Aracate para Fortaleza, curioso em conhecer aquele alimento desconhecido, de finíssima iguaria, comprou numa padaria vários pães, os colocou no chapéu, sentou-se debaixo de uma árvore e pôs-se a descascá-los, como se fossem laranjas, comendo-os em seguida. Não gostou do gosto do miolo de pão, jogou-os fora, exclamando decepcionado: "Isto não serve para nada". Enquanto ele recusava o pão, na Paraíba, mais especificamente em Campina Grande, o trigo começa a ser cultivado, já se pensando no futuro do pão no país, que acabara de chegar, segundo o cronista francês Pollenare. Assim como na Europa, aqui o pão também surgiu acompanhado de rituais e cerimônias: usava-se fazer cruzes nas massas, rezar salmos para fazê-los crescer e ficarem macios e bonitos. Os responsáveis pelo desenvolvimento da panificação no Brasil foram os imigrantes, mais notadamente os italianos. O pioneirismo nasceu em Minas Gerais, mas foi em São Paulo que as grandes padarias se proliferaram mais, talvez pelo grande número de italianos e por ser Santos uma das portas de entrada para os imigrantes. O bairro da Bexiga - reduto italiano - é um belo exemplo de onde se pode comer, não só um bom pão, mas também uma gostosa massa...(e eu que pensava que foram os portugueses que trouxeram o pão para o Brasil... também, mas chegaram depois dos italianos com relação às padarias). No início do século XIX, os pães feitos no Brasil eram escuros enquanto na França o pão era de miolo branco e casca dourada. O pão francês que tanto é usado no Brasil não tem muito a ver com o verdadeiro pão francês,(alguns historiados dizem que é a baguete o mais típico pão francês) pois a receita do pão francês no Brasil só surgiu no início do século XX e difere do pão europeu por conter um pouco de açúcar e gordura na massa.(Porém tudo foi aperfeiçoado e as padarias hoje em dia também fazem o autêntico pão francês, chamado pão d'água e também o pão rústico tem casca mais dura e massa mais pesada). O pão permeia toda a história do Homem, principalmente pelo seu lado religioso. É o símbolo da vida, alimento do corpo e da alma, símbolo da partilha. Ele foi sublimado na multiplicação dos pães, na Santa Ceia, e até hoje, simboliza a fé, na Eucaristia. O pão representa simbolicamente o corpo de Cristo, nas religiões cristãs e sua comunhão. Há grande importância do pão também em outras religiões: o pão representa, simbolicamente, o corpo e a alma; símbolo da partilha - é o "jus" da multiplicação dos pães, na Santa Ceia. No Catolicismo, ele representa, simbolicamente, o corpo de Cristo, no sacramento da comunhão, em forma de hóstia. Na religião judaica, também é muito significativo. Seus seguidores costumam abençoá-lo antes das refeições. No Islamismo, mesmo não tendo um ritual, o pão é considerado uma dádiva de Deus. Nas comunidades, os pães, naquela época, eram utilizados no tratamento de doenças e até mesmo em dietas para emagrecimento. Vale, aqui, lembrar que este pão era bastante fibroso: usava-se ervas, folhas e raízes medicinais.Era sempre feito um ritual com a intenção de unir as pessoas numa cerimônia. Em quase toda a Europa Central era usual dar às boas vindas com pão e sal. A repartição do pão nas cerimônias como em outras simples refeições, fortalecia os laços de amizade.

Fonte: sites da ABIP, Curiosidade Escola, Pousada das Cores/culinária/hist. pão.

Pão de Muesli e Passas

  • 1 1/2 colher (chá) de fermento seco para pães
  • 225g de farinha de trigo especial para pães
  • 100g de farinha de trigo integral
  • 100g de muslie natural (comprado em casas de produtos naturais e/ou vegetarianos)
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 colher (sopa) de mel de laranjeira
  • 50g de passas claras
  • 25g de manteiga
  • 250ml de água
  • 2 colheres (sopa) de mel para colocar em cima do pão depois de pronto.
  1. Coloque os ingredientes na forma de fazer pão de sua máquina de pão, seguindo as instruções do manual.
  2. Coloque a forma na máquina e selecione o programa recomendado, neste caso, pão integral. Selecione a cor da crosta de sua preferência e pressione o botão iniciar.
  3. Após o bip que avisa quando o pão já está pronto, retire-o da máquina, chacoalhando-o levemente e coloque-o numa grade para esfriar. Pincele o topo do pão com o mel.

Receita do Livro: Great Recipes for your Bread Machine de Joanna Farrow.

Fruited muesli loaf

  • 1 1/2 tsp easy-blended dried yeast
  • 225g (8oz) strong whie bread flour
  • 100g (3 1/2oz) strong brown bread flour
  • 100g (3 1/2oz) nature muesli
  • 1 tsp salt
  • 1 tbsp clear honey
  • 50g (2oz) raisins
  • 25g (1oz) butter
  • 125 ml (8fl oz)water
  • 2 tbsp clear honey to glaze
  1. Put the ingredients into the bread maker bucket, following the order and method specified in the manual
  2. Fit the bucket into the bread maker and set to the programme recommended in the manual, usually multigrain or whole wheat breads. Select the crust of your choice and press start.
  3. After baking, remove the bread from the machine and shake our on to a wire rack to cool. Brush the top of the loaf with honey to glaze.

From the Joanna Farrow's book: Great Recipes for Your Bread Machine

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Apple Crisp - Crisp de Maçã

Apesar de simples não é uma sobremesa qualquer, acredite. O aroma da maçã assando no forno com canela e cardamomo espalha-se pela casa perfumando-a toda, e o calor do assado forma uma caminha quente para repousar o sorvete de baunilha gelado que funde os sabores, as texturas e a temperatura na medida certa. Esta receita é da nossa querida Cinara, fiz pequenas modificações como a inclusão do cardamomo e polvilhei um pouquinho mais de açúcar sobre a mistura antes de assar.
Ingredientes:

5 maçãs picadas

1/2 colher (sopa) de canela em pó

3/4 xícara de farinha de trigo

1/4 xícara de aveia em flocos finos

1/2 xícara de açúcar

1/2 xícara de açúcar mascavo

1 colher (sopa) de fermento

1 ovo

1/2 colher (chá) de cardamomo em pó

1/3 xícara de açúcar

1 colher (sopa) de margarina derretida

Pré-aqueça o forno a 150 graus centígrados. A temperatura mínima do meu forno é 180ºC, mas deu certo. Misture a farinha, a aveia, os açúcares, o fermento e o ovo. Misture as maçãs picadas com 1/2 colher (sopa) de canela em pó e o cardamomo e espalhe-as no fundo de um refratário quadrado ou oval, untado. Espalhe a mistura de farinha sobre as maçãs. Misture 1 colher (sopa) de canela em pó e 1/3 de xícara de açúcar, e espalhe sobre a mistura de farinha. Em seguida, cubra tudo com a margarina derretida. Asse por uma hora. Sirva quente, com sorvete de creme.

É delicioso puro também.

domingo, 12 de outubro de 2008

Today's Flowers # 10 - Orquídea - Orchid

So beautiful and so many details.
Orchidaceae (or Orchid family) is the largest family of the flowering plants.
Some authors lists 880 genera and nearly 22,000 accepted species, but the exact number is unknown (perhaps as many as 25,000) because of taxonimic disputes. About 800 new orchid species are added each year. Moreover, since the introduction of tropical species in the 19th century, horticulturists have more than 100,000 hybrids and cultivars.
§
Tanta beleza assim como tantos detalhes.
As orquídeas pertencem à ordem Asparagales, à família Orchidaceae. Alguns autores definem como a maior de todas as famílias botânicas, com números de espécies estimados entre 23000 e 25000. Mas um consenso geral é de que se trata da maior família botânica dentre as monocotiledôneas. Esses imponentes números desconsideram a enorme quantidade de híbridos e variedades produzidos por orquidicultores todos os anos. No entanto, desde a introdução das espécies tropicais no séc. XIX, os cultivadores de orquídeas chegaram a mais de 100.000 espécies híbridas. A quantidade de gêneros conhecidos também é surpreendente, chegando na marca dos 880.
Join us clickling at the logo above.
Participe clicando no logo acima.

sábado, 11 de outubro de 2008

Camera-Critters # 27 - The great white egret - A Garça

An graceful white egret walking along the bank of the lagoon as if it was modeling at a fashion show just for me!
§
Uma graciosa garça andando pela margem da lagoa como se estivesse desfilando somente para mim!
Camera-Critters is a meme hosted by Misty Dawn, to participate click here.
Camera-Critters é um meme organizado pela Mist Dawn onde vale fotografar e mostrar qualquer animal, de qualquer espécie. Para participar clique aqui.
casmerodius albus

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Sky Watch Friday # 13 - A tree with an open arms - Uma árvore de braços abertos

This place is a little town called Analândia, São Paulo State countryside. It's known by its pleasant weather, nature and also for mountain climbing sports, trekking, bird seeing and others. My family (since grandfather to the little grandson) always go there at the vacation. The children can play freely, ride horses and bikes around. It is really a lovely place to rest and also cook delicious dishes with the whole family. The Analândia motto is "Don't worry, be happy"!
§
Este lugar é uma cidadezinha chamada Analândia, interior de S. Paulo. É conhecida por seu clima agradável, natureza e também por esportes de escalada, rapel, caminhada em trilhas e observação de pássaros entre outros. Minha família (desde o vovô até o mais novo netinho) sempre passa lá as férias. As crianças brincam livremente, andam à cavalo, bicicleta. É realmente um lugar encantador para descansar e também preparar vários pratos deliciosos com toda a família. O lema de Analândia é "Don't worry, be happy"!
To participate, click the logo above-Para participar clique no logo acima.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Risoto básico de Manjericão e um toque de Tomate

Sempre gostei de massas e sempre as fiz com uma certa regularidade. O arroz para mim, era visto como alimento diário, integral ou não, acompanhado do nosso feijãozinho brasileiro. Depois que comecei a fazer risotos me rendi a esta paixão e confesso que, agora, qualquer oportunidade no dia-a-dia é pretexto para um risoto, mesmo que seja básico.
Ingredientes:
  • 5 xícaras (chá) de caldo de galinha com tomate (0% gordura). Nesta quantidade de água dissolvi um sachê.
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 cebola picadinha
  • 2 dentes de alho grandes picadinho
  • 10 folhas de manjericão, picadas grosseiramente (se forem pequenas nem precisa picá-las), mais algumas inteiras para enfeitar.
  • 1 1/2 xícara de arroz para risoto
  • 1/2 xícara de queijo Parmesão ou ou Grana Padano ralado (na hora é melhor)
  • Sal a gosto, pimenta do reino a gosto (não coloquei a pimenta)
Preparo:
Deixe pronto o caldo em ponto de fervura em fogo baixo. Aqueça numa panela média o óleo com 2 colheres da manteiga até derreter e refogue o alho e a cebola, não deixe escurecer. Coloque o arroz e vá mexendo sempre até ficar translúcido e bem encorporado nos temperos, despeje o vinho branco, misture até evaporar. Comece a juntar o caldo, uma concha de cada vez, misturando até quase secar, coloque mais uma concha e assim sucessivamente. Esta estapa dura uns 20 minutos aproximadamente, dependendo do arroz. Eu particularmente gosto do risoto bem úmido, cremoso e só um pouco al dente, mais para o macio. Quando estiver quase acabando o caldo, antes da última adição, coloque as folhas de manjericão. Prove o sal. Assim que estiver no ponto, desligue o fogo, adicione a última colher de manteiga, mexa bem para ficar brilhante e cremoso e sirva imediatamente com o queijo ralado a gosto. Este arroz vai muito bem com qualquer tipo de carne, frango ou peixe.

domingo, 5 de outubro de 2008

Today's Flowers # 9 - Hibiscus rosa-sinensis

Hibiscus rosa-sinensis (family Malvaceae), known colloquially as the Chinese hibiscus, is an evergreen flowering shurb native to East Asia. It is also known as China rose and shoe flower. It is widely grown as an ormamental plant throughout the tropic and subtropics. It is considered the national flower in Hawaii and there are 5000 varieties. The flowers are large, (generally red in the original varieties), firm, but generally lack any scent. Numerous varieties, cultivars and hybrids are available, with flower colors ranging from white through yellow and orange to scarlet and shades of pink, with both single and double sets of petals.
Information: Wikipedia
If you want to join us click here.
§
O Hibiscus rosa-sinensis, conhecido simplesmente por hibisco ou graxa-de-estudante (devido ao efeito mucilaginoso das folhas, podendo lustrar sapatos), é um arbusto lenhoso, fibroso, com até 5 metros de altura, originário da Ásia tropical e do Havaí, onde é considerado a flor nacional e possui 5000 variedades. Muito difundido no mundo pelas propriedades ornamentais, possui diversas variedades e formas, com flores grandes ou pequenas, com pétalas lisas ou crespas. As folhas, variegadas ou não, podem ser largas ou estreitas. Muito cultivado no Brasil, com vários híbridos e variedades, é utilizado com muito sucesso na arborização urbana abaixo da rede elétrica, devido ao pequeno porte, necessitando condução e poda, além de enfeitar jardins, praças e servir de cerca viva.
Fonte: Wikipédia
Se você quiser participar, clique aqui.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Salsa de Manga e Abacate

Salsa é uma invenção latino-americana mais precisamente dos países como México e também encontradas nos países da América Central. As salsas são nada mais que molhos, assim como chamamos aqui o nosso molhinho vinagrete que acompanha as carnes de um bom churrasco. As salsas servem tanto de molho como de acompanhamento. Contém pouca gordura e são feitas a base de frutas e legumes picados. Salvo raras exceções, são feitas com ingredientes crus e naturais. Além de todas essas vantagens, substituem muito bem os molhos tradicionais, a mostarda, o ketchup, a maionese. Acompanham carnes brancas, vermelhas, peixes e sanduíches. Também podem ser servidas simplesmente com pão torrado e com as famosas tortilhas e burritos tex-mex como o quacamole é usado. No verão são um contraponto refrescante para os pratos quentes.
Ingredientes:
  • 1 xícara (chá)de polpa de manga picada
  • 1 xícara (chá) de polpa de abacate picado
  • 1/2 xícara (chá) de pimentão verde ou vermelho sem sementes picado (não tinha, usei tomates sem sementes, mas com pimentão ficará melhor, pois dá crocância).
  • 6 colheres (sopa) de suco de limão
  • 1 colher (sopa) de raspas de limão
  • 1/2 xícara de cebola picadinha
  • 4 colheres (sopa) de coentro picado
  • 1 dente de alho picadinho
  • 4 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem
  • Sal a gosto
  • Algumas gotas de molho de pimenta jalapeño/habanero/malagueta ou a gosto (opcional)

Modo de Fazer:

  1. Coloque todos os ingredientes numa tigela, misture e tempere com sal a gosto.
  2. Cubra a tigela com filme plástico e guarde na geladeira por 30 minutos antes de servir.
Blog Widget by LinkWithin