quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Dia Mundial do Pão - 3rd World Day of Bread- Fruited muesli loaf

O World Bread Day original foi criado pela UIB - International Union of Bakers e Bakers-Confectioners – (União Internacional dos Padeiros) com o objetivo de abrir um canal para que se discuta sobre pão e padeiros, conhecer sua história sua importância e futuro. Para obter mais informações sobre este evento veja:http://kochtopf.twoday.net/stories/5175999/

História do Pão
É estimado que o pão tenha surgido há 12 mil anos na Mesopotâmia juntamente com o cultivo do trigo. Eram feitos de farinha misturada com o fruto do carvalho. Os primeiros pães eram achatados, duros, secos e muitos amargos. Para ser ingerido, o pão era lavado várias vezes em água fervente e depois era assado sobre pedras ou embaixo de cinzas. O primeiro pão assado em forno de barro foi a 7000 a.C. no Egito, que mais tarde descobriram o fermento. O pão chegou à Europa em 250 a.C. sendo preparado em padarias, mas com a queda do império romano, as padarias fecharam e o pão teve que ser feito em casa. Somente a partir do século XII a França começou a melhorar e então no século XVII o país se destacou como centro mundial de fabricação de pães.
Conforme escreveu o sociólogo e antropólogo Gilberto Freyre (autor de "Casagrande e Senzala"), o Brasil conheceu o pão no século XIX. Antes do pão, o que se usava, em tempos coloniais, era o biju de tapioca no almoço e no jantar a farofa, o pirão escaldado ou a massa de farinha de mandioca feita no caldo de peixe ou de carne. O desconhecimento sobre o pão aqui no Brasil era total, segundo alguns relatos de cronistas, daquela época. Veja um desses relatos hilariantes de 1839: um certo matuto, vindo de Aracate para Fortaleza, curioso em conhecer aquele alimento desconhecido, de finíssima iguaria, comprou numa padaria vários pães, os colocou no chapéu, sentou-se debaixo de uma árvore e pôs-se a descascá-los, como se fossem laranjas, comendo-os em seguida. Não gostou do gosto do miolo de pão, jogou-os fora, exclamando decepcionado: "Isto não serve para nada". Enquanto ele recusava o pão, na Paraíba, mais especificamente em Campina Grande, o trigo começa a ser cultivado, já se pensando no futuro do pão no país, que acabara de chegar, segundo o cronista francês Pollenare. Assim como na Europa, aqui o pão também surgiu acompanhado de rituais e cerimônias: usava-se fazer cruzes nas massas, rezar salmos para fazê-los crescer e ficarem macios e bonitos. Os responsáveis pelo desenvolvimento da panificação no Brasil foram os imigrantes, mais notadamente os italianos. O pioneirismo nasceu em Minas Gerais, mas foi em São Paulo que as grandes padarias se proliferaram mais, talvez pelo grande número de italianos e por ser Santos uma das portas de entrada para os imigrantes. O bairro da Bexiga - reduto italiano - é um belo exemplo de onde se pode comer, não só um bom pão, mas também uma gostosa massa...(e eu que pensava que foram os portugueses que trouxeram o pão para o Brasil... também, mas chegaram depois dos italianos com relação às padarias). No início do século XIX, os pães feitos no Brasil eram escuros enquanto na França o pão era de miolo branco e casca dourada. O pão francês que tanto é usado no Brasil não tem muito a ver com o verdadeiro pão francês,(alguns historiados dizem que é a baguete o mais típico pão francês) pois a receita do pão francês no Brasil só surgiu no início do século XX e difere do pão europeu por conter um pouco de açúcar e gordura na massa.(Porém tudo foi aperfeiçoado e as padarias hoje em dia também fazem o autêntico pão francês, chamado pão d'água e também o pão rústico tem casca mais dura e massa mais pesada). O pão permeia toda a história do Homem, principalmente pelo seu lado religioso. É o símbolo da vida, alimento do corpo e da alma, símbolo da partilha. Ele foi sublimado na multiplicação dos pães, na Santa Ceia, e até hoje, simboliza a fé, na Eucaristia. O pão representa simbolicamente o corpo de Cristo, nas religiões cristãs e sua comunhão. Há grande importância do pão também em outras religiões: o pão representa, simbolicamente, o corpo e a alma; símbolo da partilha - é o "jus" da multiplicação dos pães, na Santa Ceia. No Catolicismo, ele representa, simbolicamente, o corpo de Cristo, no sacramento da comunhão, em forma de hóstia. Na religião judaica, também é muito significativo. Seus seguidores costumam abençoá-lo antes das refeições. No Islamismo, mesmo não tendo um ritual, o pão é considerado uma dádiva de Deus. Nas comunidades, os pães, naquela época, eram utilizados no tratamento de doenças e até mesmo em dietas para emagrecimento. Vale, aqui, lembrar que este pão era bastante fibroso: usava-se ervas, folhas e raízes medicinais.Era sempre feito um ritual com a intenção de unir as pessoas numa cerimônia. Em quase toda a Europa Central era usual dar às boas vindas com pão e sal. A repartição do pão nas cerimônias como em outras simples refeições, fortalecia os laços de amizade.

Fonte: sites da ABIP, Curiosidade Escola, Pousada das Cores/culinária/hist. pão.

Pão de Muesli e Passas

  • 1 1/2 colher (chá) de fermento seco para pães
  • 225g de farinha de trigo especial para pães
  • 100g de farinha de trigo integral
  • 100g de muslie natural (comprado em casas de produtos naturais e/ou vegetarianos)
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 colher (sopa) de mel de laranjeira
  • 50g de passas claras
  • 25g de manteiga
  • 250ml de água
  • 2 colheres (sopa) de mel para colocar em cima do pão depois de pronto.
  1. Coloque os ingredientes na forma de fazer pão de sua máquina de pão, seguindo as instruções do manual.
  2. Coloque a forma na máquina e selecione o programa recomendado, neste caso, pão integral. Selecione a cor da crosta de sua preferência e pressione o botão iniciar.
  3. Após o bip que avisa quando o pão já está pronto, retire-o da máquina, chacoalhando-o levemente e coloque-o numa grade para esfriar. Pincele o topo do pão com o mel.

Receita do Livro: Great Recipes for your Bread Machine de Joanna Farrow.

Fruited muesli loaf

  • 1 1/2 tsp easy-blended dried yeast
  • 225g (8oz) strong whie bread flour
  • 100g (3 1/2oz) strong brown bread flour
  • 100g (3 1/2oz) nature muesli
  • 1 tsp salt
  • 1 tbsp clear honey
  • 50g (2oz) raisins
  • 25g (1oz) butter
  • 125 ml (8fl oz)water
  • 2 tbsp clear honey to glaze
  1. Put the ingredients into the bread maker bucket, following the order and method specified in the manual
  2. Fit the bucket into the bread maker and set to the programme recommended in the manual, usually multigrain or whole wheat breads. Select the crust of your choice and press start.
  3. After baking, remove the bread from the machine and shake our on to a wire rack to cool. Brush the top of the loaf with honey to glaze.

From the Joanna Farrow's book: Great Recipes for Your Bread Machine

22 comentários:

Cristina Momentos Preciosos disse...

Afinal não foram os portugueses,mas sim os italinos que levaram o pão para o Brasil,não imaginava tal!
O texto está maravilhoso como todos por si publicados,só tenho pena de não ter ainda uma mpf,para puder fazer esta receita que me parece ser maravilhosa.
Bjs

Mari Azevedo disse...

Gostei demais do seu texto, Cláudia.... muito interessante a história do surgimento do pão, e principalmente de como ele chegou aqui no Brasil...
E esse seu pãozinho está um pecado, hein amiga! Que delícia!!!
Beijoss

ameixa seca disse...

Eu não vivo sem pão!!! Esse pão deve ficar delicioso :)

Eliana Scaramal disse...

Que ótimo post e esse pão está uma verdadeira maravilha!!

Magia na Cozinha disse...

Claudia o seu pão parece muito gostoso, ainda mais com este melzinho.
Pão é um dos meus alimentos favoritos, não vivo sem.
Este evento é muito legal, também estou participando.
Bjs :)

Nysa disse...

pois é.. assim com uma máquina de fazer pao... será que ainda vou ter que comprar uma ;-)))

Odete disse...

Mais um paozinho delicioso e a historia. Ficou lindo seu pao Claudia.

Beijos

Tânia Saj disse...

Depois desta história maravilhosa sobre o pão, estou à espera que um cientista muito inteligente invente uma dieta emagrecedora à base de pão....
Ah, a foto do seu me passa um aroma delicioso!
beijinhos

Constança Lucas disse...

o seu blog é muito legal

e a Melly podia ter o dela :)

Obrigada pelas visitas ao blog da Náná

abraços
Constança

Priscila L. Beneducci Afonso disse...

Oi Claudia, eu não tenho máquina de pão, mas seu pão lembra um pão que meu marido só compra. Ele é integral vem com sisquinhos de passas. O seu pede musly e eu tenho é muita granola no armario. Vou testar fazer com granola e passas, comum no forno sem máquina. Mel eu tenho também. Valeu pela receita. Pri - Contagem - MG

Valentina disse...

claudia, achei o teu text ótimo. Bem informativo. Eu queria tanto ter participado mas na semana passada so consegui postar para o evento da Rita Palito pois sou madrinha. bjcas

Cláudia M. disse...

Cláudinha, obrigada por nos ter ensinado tanto sobre o pão. O texto está muito interessante. Eu adoro pão, quase não passo uma refeição sem ele. O seu está maravilhoso.
Beijinhos

Eliana Scaramal disse...

Minha amiga querida, passou bem o final de semana?! Vim te desejar uma semana de vitória!

Donna Dani disse...

Que delícia esse pão!!!
Já tomei nota.
Bjks

Naninha disse...

Eu não sabia que havia o dia do pão, adorei conhecer um pouco da história desse alimento que eu tanto gosto de fazer e de comer.
Sua receita é ótima!
Beijos

Verena disse...

Claudia,
amei sua receita e a foto ficou linda!!!!
Estou meio sumida mas de vez em quando visito as amigas e amigos na blogosfera!
Saudades,
Verena

Téia disse...

Clau, suas receitas de pão são maravilhosas. Este está especial e nutritivo, além de super fotogênico. Bj grande lindona.

Marcos Santos disse...

Eu ia elogiar a historinha do pão, mas em seguida você colocou uma receita com uma cara ótima e me desviou a atenção. Vou ter que experimentar.

Hoje aqui em casa, estamos comprando pão pela quantidade de grãos. Antes eram sete, depois passou para nove, agora são doze grãos. É mais ou menos como carro 1.0, 1.8, 2.0

Beijo

Letrícia disse...

Esse pãozinho está tentador, Cláudia! Eu quase posso sentir o cheirinho...

Senti falta de visitar esse cantinho tão florido (andei meio atrapalhada nos últimos tempos e quase não li blogs). Suas fotos estão cada vez melhores.

Beijos!

Cris disse...

ESte pão quentinho com manteiga... e uma xícara de chá... gostei do toque especial com o mel, ficou uma receita tão nutritiva! Bjs!

zorra disse...

Unfortunately I can't read Portuguese, but the recipe sounds delicious.

Thx for your participation in WBD'08.

Mariana disse...

O pão é essencial na nossa cultura e até o delivery em moema de qualquer coisa vem com um pedaço de pão, pelo menos os que eu peço todas as semanas.

Blog Widget by LinkWithin