quinta-feira, 19 de junho de 2008

Missô-Shiru

Tem data e local certos a chegada da imigração japonesa ao Brasil. Foi a bordo do vapor Kasato- Maru que aportou em Santos a primeira leva organizada de trabalhadores vindo do Japão no dia 18 de julho de 1908.

Com uma cultura rica e bem particular, eles saíram de seu pequeno país em busca de trabalho neste Brasil imenso. Assim como para eles foi uma descoberta enigmática, o mesmo aconteceu com os brasileiros que os recebiam: para estes, abria-se uma era de contato com uma civilização que em um século de presença, mostraria ter muito a ensinar. Apesar de todas as dificuldades iniciais, pois as condições que viriam a encontrar nas fazendas de café no interior de São Paulo, em nada contribuíam para a realização de seus sonhos de melhorar o padrão de vida, em nada pareciam com o que lhes haviam prometido.

Uma das grandes dificuldades era a adaptação ao alimentos disponíveis naquela época em nosso país. Havia o arroz, mas do tipo diferente do japonês, era difícil de ser preparado no ponto e sabores desejados, os peixes eram raros assim como as verduras e legumes que não eram comuns na alimentação local. Sem falar que os pratos brasileiros, sempre com muita gordura (de porco, pois não havia geladeira na época e as carnes eram conservadas na banha), eram muito pesados para os hábitos japoneses. As provisões que recebiam nas fazendas eram um mistério: farinhas de mandioca e milho, o feijão era conhecido, mas para preparar como doce. O charque não apetecia, pois parecia cheirar mal, o bacalhau seco, desconhecido, era inicialmente preparado sem ser demolhado e ficava salgado. A saudade do chá, inexistente nas fazendas. Os brasileiros por outro lado, achavam estranho que os japoneses insistissem em comer cruas as verduras que conseguiam encontrar ou cultivar.

Com o passar do tempo, quando se libertaram do trabalho nas fazendas, começaram a se dedicar ao aperfeiçoamento das culturas agrícolas mais familiares, além de enriquecer a variedade e quantidade dos produtos hortifritigranjeiros que abastecem a nossa mesa em todo o país. E continuam até hoje sempre se atualizando em sua produção e agora temos os ingredientes japoneses para enriquecer ainda mais a nossa culinária.

A especialidade dos japoneses no cultivo da terra conseguiu enriquecer as nossas mesas. Logo surgiram as quitandas, hoje tão tradicionais em nosso país

O prato que escolhi para participar deste evento, é a deliciosa sopinha de missô-shiru preparada à base de dashi (caldo) e missô (pasta preparada à base de soja fermentada) , que geralmente acompanha as refeiçoes japonesas que incluem cinco pratos: uma sopa, um cozido, um grelhado. guranições de legumes e arroz. A bebida principal é o chá, e a bebida alcoólica é o saquê (fermentado de arroz). No almoço, a refeição é simplificada: arroz, ovo cru, algas, conserva e sopa de missô. Bem tudo isso agora é bem relativo, pois os descendentes já comem de tudo de nossa culinária misturada com a deles.

Ingredientes:

  • 4 xícaras de chá de água
  • 1 envelope de "hondashi" (tempero a base de peixe Bonito que confere um suave sabor de peixe)
  • 3 colheres (sopa) de missô
  • 3 colheres (sopa) de cebolinha verde picada

Modo de Preparo

Em uma panela média, leve ao fogo a água para aquecer, quando abrir fervura, junte o "hondashi" e misture. Em uma tigela pequena (eu uso uma concha grande) separe um pouco do caldo e dissolva o missô, adicionando novamente ao caldo da panela. Desligue o fogo, pois não é bom ferver o missô. Acrescente a cebolinha picada e sirva em cumbuquinhas. Tome a sopa na cumbuca, sem colher.

Você pode servir o missô com a cebolinha, salsinha, alga "nori" picadinha, e tofu (queijo de soja) cortado em cubos dispostos em travessinhas separadas. As pessoas adicionam o que quiserem na hora de tomar a sopa. Outras guarnições podem ser servidas nesta sopa como "daikon" (nabo), vagens, ovo, frutos do mar, etc.

Para participar das comemorações dos 100 anos da Imigração Japonesa ao Brasil, visite o blog da nossa querida Akemi, Pecado da Gula e contribua com a sua receita!

16 comentários:

Fabrícia disse...

Bela homenagem....uma cultura fascinante.
Bjs

Lú! disse...

Tbém adorei o post!!!(igual a Fá!rsrs)
E adoro suas visitinhas lá no blog!
Bjbj
:o)

Filipa disse...

Claudia adorei o post e a sopinha então nem se fala, ficou com um aspecto fabuloso e a louça é uma graça.

Beijinhos

Akemi disse...

Claudia, eu adoro misso shiru! É uma sopinha que tem quase todos os dias em casa! Adorei a sua participação e mais ainda seu lindo e emocionante post contando um pouco de nossa história! Bjs

monica disse...

Post magnífico e a sopa tem um aspecto delicioso. Adoro estas sopas orientais, leves e deliciosas.
Beijinhos

Cris disse...

Amei o post! A influência da cultura japonesa em nosso país foi uma das melhores coisas, principalmente para nossa região. Eles lutaram e venceram. Bjs!

Jociane Tachibana disse...

Muito legal sua homenagem, parabéns!1
Fiz uma pequena no meu blog também, dá uma olhadinha, por lá...
Meus deus voce tem muitas delicias por aqui né, fiquei com vontade de correr para cozinha.
Mais tenho que me controlar meu marido agora é diabético ai fico com dó dele

ameixa seca disse...

Adorava provar essa sopa. Tem um aspecto óptimo ;) Foi uma bela homenagem, ainda por cima a Akemi desenvolveu um desafio fascinante ;)

Daniel J Santos disse...

depois disto tudo o que dizer para alem de um excelente.

Goreti disse...

Amei a homenagem que vc fez, e mais que merecida, e tbm adorei sua escolha na receita , pois essa é uma das iguarias que mais me apetece na culinária japonesa...e nesse friozinha cai muito bem.

Beijos!!!

Jociane Tachibana disse...

Oi Claudia..
Obrigado pela visita e pelas palavras.
Me desculpe vou publicar a tradução, que falha minha.
Depois eu te falo qdo colocar, obrigado pelo toque.
Jociane
Bjus

Nani do Paulo disse...

Eu amo a culinária japonesa, desde que não leve peixe cru, rs Sua receita é muito boa!
Beijos

Agdah disse...

Eu adoro essa sopinha...

Eliana Scaramal disse...

Claúdia querida que lindo post! Amei, de verdade!

Marcia disse...

Adoro essa sopa! Onde encontro o hondashi? Bjs

Bete disse...

Hummm! Que sopinha deliciosa essa!
E parabéns bela bela homenagem prestada aos imigrantes Japoneses.
Bjs!

Blog Widget by LinkWithin